segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Reutilização potes de creme

Hoje quero dar uma dica de reutilização de materiais.

Eu gosto de usar máscaras capilares que vêm nesses potões de 1kg, mas quando elas acabam sempre eu reutilizo os potes. A embalagem é em um material forte, um plástico bem resistente, por isso jogar fora chega a pesar a consciência. Por isso eu sempre reutilizo esses potes. 

Semana passada comprei argila rosa para usar na pele e nos cabelos, e dei preferência a uma marca que vende o produto num saquinho, porque eu já pretendia usar um pote que foi de creme de cabelo e que eu tinha em casa para armazenar a argila.

Mas antes de reutilizar o pote é importante sempre lavá-lo bem, se possível até esterilizar com álcool ou água fervente, para ficar em perfeitas condições de reutilização e nenhuma bactéria contaminar o produto que vai ser armazenado no pote. Outra coisa, como o pote era de creme de cabelo, ele não deve ser reutilizado para armazenar comida, só para materiais de limpeza ou higiene pessoal, como sabão em pó ou outro creme de cabelo, por exemplo.

Essa atitude é importante porque ajuda a diminuir o lixo gerado e também evita gastar dinheiro à toa, eu, por exemplo, economizo dinheiro porque dou preferência a comprar refis de produtos de limpeza e armazeno esses produto nesses potes. É importante também, sempre colar no pote o rótulo do produto para não perder informações importantes como composição e prazo de validade.


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Vou contar uma história sobre cabelos e tendências...

Há quase 10 anos, eu cortei o cabelo desse jeito que hoje em dia se chama de “big shop”. Durante a adolescência, dos 14 aos 19 anos, eu pintei meu cabelo de “vermelho 666” quase que quinzenalmente, depois pintei tudo de preto, tentei recuperar um pouco o estrago de anos e decidi que não pintaria mais o cabelo. Só que eu comecei a relaxar os fios. No meu cabelo, que é naturalmente cacheado 3B, eu usava amônia misturada a uma máscara de tratamento para deixa-lo ondulado 2B. Foi aí que o estrago começou. Quando eu me abusei de usar qualquer tipo de química de transformação nos cabelos, pouco depois de completar 21 anos, eu decidi cortar tudo. Deixei 15 cm de cabelo. 
Ainda lembro, meu cabelo estava na altura da cintura, eu saí de casa dizendo a minha mãe que iria ao salão dar um corte no cabelo e ela disse “tá mesmo precisando cortar as pontas”, saí e voltei com 15 cm de cabelo rsrs Quando eu cheguei no salão eu disse “corta e deixa um palmo de cabelo”, daí a cabeleireira disse “vou cortar só até a metade para o caso de você se arrepender”, quando ela fez metade eu disse “pode cortar o resto!”. Tinha uma moça fazendo as unhas que disse “meu deus, ela vai cortar mesmo!” rsrsr Eu saí do salão naquele dia tãooooo feliz, acho que eu nunca gostei tanto do meu cabelo quanto naquele período de cabelinho curtinho. Deixei curto até 2010, foi quando eu comecei a ter pouco tempo para ir ao salão cortar, e o corte que eu tinha não era do tipo que fica bom cortando em casa, por isso parei de cortar e deixei crescer de novo.
Encontrar produtos específicos para cabelos finos e cacheados, como os meus, sempre foi um tormento. E compridos era mais difícil ainda. A indústria não se interessava por vender produtos para cabelos cacheados porque os canais de comunicação sempre manipularam as massas para que as pessoas "quisessem" ter cabelos lisos. Quem, como eu, decidia nadar contra essa maré era condenada a penar por um produto adequado. 
De uns tempos para cá, chego em supermercados, perfumarias, farmácias e encontro um variedade imensa de marcas e fórmulas diferentes para cabelos de todo tipo de cacho. É uma alegria! Só não é tanta alegria assim quando penso direitinho que a atual “moda” de cabelo cacheado natural talvez seja somente uma moda, uma tendência passageira que está devidamente sendo aproveitada pela indústria, mas que assim que esfriar vai voltar tudo ao que era antes, aquela velha dificuldade de encontrar produtos de cabelo adequados para os meus cabelos. Fiz até estoque de uns cremes que mais gostei por medo de acontecer isso e eu ficar sem (sério, teve um que eu comprei 5 kilos e estoquei já que vale até 2020 kkkkk). 
Em todo caso espero que não, espero que não passe, espero que essa “vibe de aceitação do próprio cabelo” tenha vindo para ficar, espero que daqui há 20 anos ainda seja normal a facilidade de encontrar variedade de produtos para meu cabelo, afinal, meu cabelo não é “moda”, não é mera tendência, eu nasci com ele, ele é minha identidade. Por isso torço que essa mudança de quadro tenha vindo para ficar de vez.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Fundamental...

"Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho"... eu já concordei e discordei dessa frase para lá de muitas vezes. Discordei na medida em que ela possa carregar a ideia de amor erótico romântico, que sofre qualquer coisa pelo amor, que ama amar sob toda e qualquer circunstância, mesmo quando aquele "amor" lhe machuca e faz muito mal. Estar mal acompanhado desse jeito é o que nos coloca em concordância com outra frase clichê que nos diz "antes só do que mal acompanhado" e sua inversão é certamente desespero. Por isso que, durante bastante tempo, discordei assertivamente de que é impossível ser feliz sozinho. Mas estive revendo o sentido de "sozinho". 

Estar na companhia de amigos queridos, de filhos, sobrinhos, enfim, pessoas que se ama além do amor erótico não é algo que se possa classificar como "ser/estar sozinho". Uma pessoa sozinha, sozinha mesmo, que não tem ninguém para conversar, para dividir momentos, para sorrir e chorar, é com certeza alguém profundamente infeliz, ainda que viva num palácio,, ainda que possua todas as coisas que todos querem possuir. Afinal, a felicidade está sobretudo nos atos de compartilhamento. Felicidade plena não se sustenta no egoísmo, a embriaguez do egoísmo tende esvaziar-nos.

Por isso, não, não dá para ser feliz sozinho.

Flickr.com/photos/10983882@N07

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Ludo para imprimir, grátis

Certamente o jogo que eu mais joguei com meus irmãos quando era criança foi Ludo. Trata-se de um antigo jogo de corrida para jogar de dois até quatro jogadores (4 Peões de uma mesma cor para cada um dos jogadores). Como objetivo os jogadores deverão levar todos os seus peões do ponto de partida até o ponto de destino. Para isso, deve-se dar a volta inteira no tabuleiro e chegar antes que os adversários. Os jogadores correm jogando os dados e avançando as casas. 
Regras básicas: 
  • O jogo requer: - 1 Tabuleiro; - 4 peões amarelos; - 4 peões vermelhos; - 4 peões verdes; - 4 peões azuis; - 1 dado;
  • Casa Inicial – São as casas coloridas nos cantos com um circulo ao centro fora das outras fileiras de casas;
  • Os jogadores somente poderão retirar o peão de sua casa inicial até a saída quando obter um 6 ou 1 com o dado;
  • Sempre o jogador tirar 6 pode escolher entre jogar o dado mais uma vez ou tirar um peão da casa inicial para a saída;
  • Saída – São as casas coloridas que há junto a cada Casa Inicial;
  • Abrigos – São as casas brancas com círculos cinzas, nos abrigos fica-se protegido de ser capturado;
  • Reta final – São as casas coloridas que se dirigem ao centro do tabuleiro até a casa final;
  • Barreira – Dois peões de igual cor na mesma casa formam uma barreira a qual nenhum peão poderá ultrapassar, nem mesmo os do próprio jogador;
  • Barreira de uma cor consegue ultrapassar e capturar barreira de cor diferente;
  • Capturar – Emprega-se a palavra Capturar quando um peão ocupa a posição de um peão do oponente, nesse caso este último retorna a sua Casa Inicial;
  • O peão que entrar na reta final só pode parar na casa final quando tirar o número exato que precisa para chegar lá, senão deve ficar voltando as casas até conseguir tirar o número exato no dado.
Dica: para os "peões" você pode usar botões coloridos.



Divirta-se!

sábado, 19 de agosto de 2017

Crie suas próprias cartas objetivos no War

Quando eu era criança eu amava (e ainda amo) jogos de tabuleiro, jogava Ludo, Clue, Monopoly, além dos que eu mesma inventada. Eu criava meus próprios jogos de tabuleiro quando era criança, usando papel, lápis de cor, as peças eram botões coloridos ou "geloucos", quando eu queria criar um dado especial para o jogo até mesmo os dados eu fazia de papel e tudo isso sem ter impressora ou computador, na mão mesmo anos 90 .

Há algum tempo eu tenho o clássico War, da Grow, quem conhece esse jogo sabe que ele é muito legal só que tem um probleminha: se você seguir todas as regras, à risca, as partidas vão ser muito longas. É muito comum apenas uma partida durar 4, 6, até 8 horas. Por isso eu percebi que estava deixando de jogar por conta da duração extensa e comecei a flexibilizar algumas regras do jogo para troná-lo mais célere. Entre as minhas "estratégias de flexibilização" pensei em eu mesma criar meus objetivos, objetivos mais fáceis para ser sorteados entre os jogadores e que tornassem as partidas mais rápidas. No jogo há alguns que são muito difíceis de se alcançar. Criando eu mesma objetivos novos e mais fáceis, as partidas ficaram mais rápidas sem deixar de ser divertidas, o segredo é criar objetivos inspirados nos originais só que mais fáceis.

Claro que eu poderia simplesmente escrever objetivos em papéis, recortar e sortear num saquinho, mas para ficar mais bonito o resultado, eu escaneei as cartas em branco que vêm no jogo para usar em caso de perda e fiz um arquivo para imprimir e escrever neles os próprios objetivos do War (que podem ser mais fáceis e até mais difíceis se você quiser) que devem ser sorteados entre os jogadores. Interessante não é? Deixei disponível o arquivo em pdf para qualquer pessoa interessada baixar, imprimir e também criar objetivos novos para jogar War. É só escrever dentro da carta em branco o objetivo que você quer criar.


Você pode criar novos objetivos também para inovar o jogo, caso você já tenha jogado bastante e queira novidade. Recomendo usar um papel de gramatura mais alta (mais grosso e mais durinho) para imprimir os cartões. Eu usei papel vergê 180g.

Atualização 22/08/2017: Os objetivos que eu desenvolvi foram os seguintes:
- Conquistar a América do Sul e a Oceania + 2 territórios em 3 continentes diferentes;
- Conquistar a África + 5 territórios da Ásia e ocupá-los com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar a Europa + 5 territórios da Ásia e ocupá-los com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar a América do Norte + 2 territórios à sua escolha e ocupá-los com com no mínimo 3 exércitos;
- Conquistar 8 territórios na Ásia + 2 territórios em cada continente restante;
- Conquistar 12 territórios e ocupar cada um deles com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar ao menos 2 territórios em cada continente e ocupar cada um deles com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar a Europa + 1 território em 3 continentes diferentes e ocupá-los com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar a Oceania + 3 territórios na América do Norte e ocupá-los com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar a África + 5 territórios à sua escolha e ocupá-los com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar 1 continente à sua escolha + 4 territórios e ocupá-los com pelo menos 2 exércitos;
- Conquistar 9 territórios e ocupar cada um deles com pelo menos 3 exércitos.

Download das cartas com estes objetivos AQUI.


Aproveite!