domingo, 25 de agosto de 2013

Fotografia: [Des]Equilíbrio de Branco (Fotografia com Lavagem Colorida)

Ouve um tempo que se usava (embora ainda haja quem goste de usar) filtros coloridos acoplados à parte frontal da lente da câmera fotográfica para fazer fotos "lavadas" de tons em cores (como avermelhado, amarelado, azulado etc.). Hoje em dia, quando se quer uma foto com esse tipo de efeito, a maioria das pessoas aplicam-nos em suas fotos no momento da pós- produção (com programas de edição de imagem). 

Hoje, porém, eu vou sugerir um modo de fazer imagens com essas "lavagens" de tons a partir do controle do "Equilíbrio de Branco Personalizado" da câmera. Para quem não sabe, o balanço de branco ou equilíbrio de branco (em inglês 'White Balance' ou WB) é a função que corrige a coloração das fotos. Essa função corrige a cor das imagens a partir do branco, tornando branco tudo aquilo que deve parecer branco aos nosso olhos e, por conseguinte, corretas as demais cores das cenas fotografadas.

A maioria das câmeras digitais de hoje em dia contam com uma variedade de valores pré-definidos para o ajuste de branco. Quando os valores pré-definidos não são suficientes, ainda existe a opção de "Equilíbrio de Branco Personalizado" (Custom), para esse ajuste, a pessoa faz uma foto de uma superfície branca e o sensor da câmera vai ter aquela foto como "referência de branco" para ajustar as demais fotos feitas. O Equilíbrio de Branco Personalizado é geralmente ilustrado por esse símbolo:
Pois bem, a minha dica é utilizar o Equilíbrio de Branco Personalizado e "bater o branco errado", para alterar a coloração da imagem e conseguir novos efeitos. Como?!

Assim, essa é a foto com o WB correto:
As fotos a seguir foram feitas direto da câmera, sem filtro em frente à lente, nem foram manipuladas com programas de edição de imagem para ficarem com essa lavagem colorida:
Para conseguir esse efeito você precisa acionar o "Equilíbrio de Branco Personalizado" da sua câmera, e bater o branco na "cor oposta" à cor que você quer que predomine na "lavagem" da sua fotografia. Para ilustrar, eu fiz um círculo cromático simplificado:
Observe que, se você quer um efeito roxo na sua foto, terá que "bater o branco" numa superfície amarela (pode ser qualquer coisa amarela, a capa de um livro, uma camisa, uma parede pintada...), porque a "cor contrária" do roxo é o amarelo. Já se você quiser um efeito amarelo, terá que "bater o branco" numa superfície roxa. Caso você queira um efeito vermelho, terá que bater o branco numa superfície azul, e assim segue...

Agora que você sabe "Desequilibrar o Branco", já pode fazer fotos fantásticas com mais uma pitada de criatividade. Explore!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Fotografia: A 8ª Arte

Primeira fotografia,
feita por Joseph Nicéphore Niépce,
em 1826 na França.
"O que é arte?", e se fotografia faz parte desse conceito, até onde ele a engloba? Vou logo adiantando que arte é uma expressão humana muito difícil de definir, portanto eu não tenho como dar aqui um conceito fechado, limitado e, principalmente, simples de arte [esse conceito, aliás, nos escapa sempre que o tentamos o apreender, de modo que eu também não sei definir e limitar num conceito único e completo tudo que seja arte]. Por isso, as respostas da pergunta "O que é arte?" são tão numerosas quanto variadas. No entanto pensar sobre seu conceito, ajuda, ao menos, a chegar perto de o que pode ser arte, para tentar entendê-lo um pouco

Ao longo da história, a ideia do que o que é arte se transformou. Para os antigos gregos, por exemplo, a beleza era considerada critério para valoração da arte, onde o belo era aquilo que produzia prazer espiritual. Para eles essa "beleza" era um ideal que se baseava na aplicação de princípios como ordem, simetria, equilíbrio, regularidade, proporção... Mas como nas expressões artísticas a única constância é a inconstância e a inquietude, esse conceito é sempre revisado, extrapolado, rompido e renovado ao longo da história da humanidade.

Talvez essa dificuldade em se apresentar uma definição fechada de arte, esteja no seu primeiro elemento indissociável e tão complicado, um turbilhão de complexidades que se acumulam: O Ser Humano. Arte é, necessariamente, efeito da intervenção humana sobre as coisas (Será?... Leia "A Natureza é o Artista", texto 37 do livro "O Porco Filósofo" de Julian Baggini). Admitamos que a arte é expressão humana de estados de consciência, emoções, filosofias, sentimentos, quer sejam fugazes ou não, enfim, a externação de reflexos do espírito (na falta de uma palavra melhor) humano.

Sim, assim como se expressam essas "humanidades" com um instrumento de som que faz uma música, com uma caneta que escreve um poema, com tintas e telas que pintam um quadro, com latas de spray que grafitam um muro, pode-se expressar-se também com uma câmera que registra uma fotografia.

Registrar uma fotografia é nada mais que criar imagens por meio de exposição luminosa, fixando-as em uma superfície sensível. Durante muito tempo (desde que tirada a primeira fotografia, por Joseph Nicéphore Niépce, em 1826 na França), o acesso a fotografia foi difícil e caro, mas como advento da fotografia digital (Em 1990, a Kodak lançou o DCS 100, a primeira câmera digital, embora caríssima, comercialmente disponível) veio facilidade de acesso a equipamentos sofisticados e modernos, de modo que, hoje em dia, todo mundo pode ter uma câmera, nem que seja a do celular. Parece bom, entretanto tem gente que não gosta dessa facilidade e reclama: "Ah,mas hoje em dia qualquer um compra uma câmera e sai apontado por aí dizendo que é fotógrafo".

Logo que surgiu, a fotografia, não era considerada arte. Mas como a arte sempre se recria, se transforma e se amplia, hoje em dia, pode-se dizer que fotografia pode ser arte. Tem muita gente que faz desdém com fotografia como sendo arte, não a considerando esse tipo de expressão, por achar que ela pode ser muito facilmente produzida. Mas eu desconfio muito desse ponto de vista. Seria, pois, a dificuldade no acesso ao equipamento ou na reprodução da obra, o critério para definir arte? Duvido muito!

Por todo exposto, podemos dizer que fotografia se revela arte na medida em que extrapola o mero registro de um momento, de um lugar, de uma coisa. É arte quando se firma como expressão humana, de uma visão de mundo única, particular. E o instrumento que a viabiliza é a incidência da luz numa superfície fotossensível (que pode ser uma lata com um furo tapado como dedo, até uma câmera de última geração que custe o preço de um carro, tanto faz, técnica é particular do artista).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...