sexta-feira, 23 de junho de 2017

Por que séries de animação adulta sobre famílias sempre têm o pai como personagem principal?

Eu curto muito esses desenhos e animações que se propõem a analisar e criticar com humor o moralismo social a partir das vivências do "modelo tradicional de família", tais como "Os Simpsons", "Family Guy", "American Dad"... Por esses dias terminei de ver a segunda temporada de "F is for Family" na Netflix e achei por bem escrever sobre uma coisa que observo de comum nessas séries: todas têm como personagem principal o pai da família. Vejamos se não: Família Dissouro: DinoOs Simpsons: Homer Simpon; Family Guy: Peter Grifin; American Dad: Stan Smith; Bob's Burgers: BobThe Cleveland Show: Cleveland; F is for FamilyFrank Murphy. Se alguém duvida então analise por gentileza as aberturas dessas animações e observe quem é que que protagoniza os vídeos de abertura (quando o próprio nome da série já não tem o nome do cara como principal).

Na maioria dos desenhos que eu listei a mulher não pode ser dita nem como secundária, afinal em "Os Simpsons", por exemplo, depois de Homer o personagem que mais popular é Bart. Em "Family Guy" com certeza os personagens depois de Peter são Brian e Stewie. Em "American Dad" depois de Stan pode-se dizer Roger. Só em "F is for Family" a mulher, Sue Murfy, talvez possa ser dita como segunda personagem da história. Mas o comum é que são sempre as histórias da família "de um cara". Outro comum é que a mãe nunca tem emprego, é sempre a esposa e mãe que cuida da casa o modelo de "good house wife" (ou se arruma um emprego é só temporamente por conta de fases de dificuldade financeira da família). Se eu for fuçar nos desenhos que assisti na infância encontro a mesma regra. Por exemplo, "Os Flintstones" e "Os Jetsons" até em "O Fantástico Mundo de Bobby". Claro que ainda gosto de todos esses desenhos, mas no meio de todo o roteiro eu me pego pensando "como será que essa mulher se sentiria?", mas o roteiro quase sempre se desenvolve sobre outro assunto. Talvez seja possível encontrar pontos de subversão a esse clichê em "A Família Adams", afinal, é inegável o teor de protagonização de Wandinha (mesmo porque, ser o inverso ao comum conformista era a sacada da série). Não estou querendo dizer que esses desenhos são machistas, se você entendeu isso, então entendeu tudo errado (há personagens nesses desenhos, inclusive, que eu AMO, como Tina [Bob's Burgers] e Brian [Family Guy]). Só quero atentar para essa tendência de sempre ser "o cara" a ocupar a posição de "centro" e protagonista, o que me soa cansativo, pois não param de surgir desenhos novos que repetem o mesmo modelo. Quando vai aparecer um que subverta isso?

Observe os filmes, livros, séries mais populares de modo geral, quantos deles contam histórias de mulheres. Digo sem rodeios: bem poucos! E nesses poucos encontramos muita besteira com clichês preconceituosos com mulheres inseguras, melancólicas, nervosas e confusas ou simplesmente mulheres buscando "um príncipe". Claro que hoje em dia tem uma "Moana" ou outra aparecendo no cinema, mas sabe uma coisa que eu queria ver e ainda não vi: uma sitcom adulta na qual se invertesse essa lógica de "o pai é o centro" só para ver como os roteiros dos episódios seriam e para poder dizer que tem pelo menos uma assim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...